Notícias

02/12/16

Petróleo atinge máxima em mais de 1 ano após acordo da Opep

*Por Reuters, G1
Rússia fechou acordo com a Opep para restringir a produção, após o 1º acordo da organização para reduzir a oferta desde 2008.

Os preços do petróleo subiram 4% nesta quinta-feira (1º), com o Brent tocando uma máxima de 16 meses, ampliando ganhos após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia fecharem acordo para restringir a produção e reduzir a oferta global com maior rapidez.

Na quarta-feira, a Opep fechou seu primeiro acordo interno de limitação de bombeamento desde 2008, com seu membro mais importante, a Arábia Saudita, aceitando "um grande impacto" e abrindo mão de exigir que o rival Irã também corte produção.

O acordo também incluiu a primeira ação coordenada com a Rússia em 15 anos.

Ainda assim, dúvidas pairavam sobre o mercado a respeito do acordo.

"Ainda precisamos ver qual será adesão ao plano, mas se a Opep não tivesse chegado a um acordo, provavelmente os preços do petróleo teriam caído para US$ 40 por barril, talvez até menos", disse o analista-chefe da consultoria Wood Mackenzie, Simon Flowers.

O Brent fechou com alta de 4,1%, ou US$ 2,10, a US$ 53,94. Mais cedo na sessão a cotação chegou a subir 5,2%, para US$ 54,53, maior valor desde 27 de julho de 2015.

O petróleo norte-americano fechou a sessão a US$ 51,06, com alta de US$ 1,62, ou 3,3%. Na máxima do dia, a US$ 51,80, estava apenas US$ 0,13 abaixo da máxima de 2016.

VOLTAR